domingo, 23 de dezembro de 2012


21 de dezembro de 2022 

Olá ...
Esta é a ultima carta que escrevo para você, a propósito, esse é o nosso último dia e a única coisa que me resta é escrever-lhe esta carta.  Sinto sua falta aqui e agora, melhor dizendo sinto sua falta todos os dias. Provavelmente você não deve se lembrar de mim. Talvez alguns leves flashes na memória que são logo apagados pelo seu nervosismo. Deve estar 'bebendo para esquecer' que suas horas estão contadas neste planeta e junto da sua nova família aproveitando os momentos que deveria ter aproveitado anteriormente. 
Você sempre foi assim, um robô, um idólatra do dinheiro, da riqueza e do luxo... Deixou de viver por causa disso. Este é e foi exatamente esse seu problema, não só o seu mas também o problema do resto do mundo: "Deixar para amanhã o que podia fazer hoje".  
Sabe o que eu queria te falar? Que hoje, olho pela janela e vejo  tudo o que eu não via antes: Vidas. Expressando suas vontades e vivendo intensamente o que deveriam ter vivido. Tentando conservar memórias e experimentar novas sensações. Viverem tudo o que nunca tiveram tempo...  Tentando viver. Vejo gente em festas tomando seu ultimo porre tentando esquecer esse ultimo dia. Vejo gente apressada pra cumprir seus últimos objetivos em tão pouco tempo. Há pessoas que também estão com remorso por não ter aproveitado sua vida. Outras pessoas que só pensam em aproveitar seus últimos momentos com a família.
Por um momento, tento imaginar você... Aposto que está assustado mas sua face transparece serenidade. Você tem que ser forte por seus filhos, eu sei. Tem que protege-los. Sei também que provavelmente está pensando o por que não me deu ouvidos, certo?! Parecia loucura à 10 anos atrás, não é?!  Sei que está arrependido, eu entendo...Entretanto você seguiu os seus sonhos e alcançou suas ambições, seus objetivos de vida: Seu carro importado, sua casa de praia em Miami, seus sete zeros na conta bancária... Mas me responda: O que você carregará em sua memória?  Quais os sentimentos que você levará no peito? 
Você não aproveitou a vida enquanto ela ainda existia... Você deixou tudo por uma coisa que hoje não tem mais importância nenhuma. Construiu um futuro que não existirá. 
Esse é o grande problema: Esquecer de viver...
Hoje eu vivo minhas ultimas horas de vida, vejo meu ultimo por-do-sol tomo minha ultima xícara de chá  enquanto recebo a vento da primavera em meu rosto. Não tenho mais nada a fazer, sinto o sentimento de dever cumprido; de ter aproveitado meu tempo com sabedoria e com a plena convicção que sorri, festejei, chorei e vivi. A unica coisa que me resta é recordar tendo certeza que aproveitei minha vida sem arrependimentos e de forma intensa como se cada dia fosse o ultimo da minha vida.
Até qualquer dia no paraíso 
Sam

2 comentários:

Mony Gabriely disse...

Ótima carta. Boa sorte também no Bloínquês. Beijos!

Vinicius Ferrari disse...

Eu acho que o medo de todos nós é ver a vida passar e escapar por dentre nossos dedos. Não estamos preparados para vermos nossos sonhos e planos sendo jogados pela janela, não estamos preparados para vermos tudo aquilo que deixamos para resolver amanhã perder o sentido. Somos seres acomodados. Achei tua personagem tão tristonha e tão certa daquilo que fala... Bueno, achei tua história um pouco confusa.Deu a entender que eles tiveram algum tipo de relacionamento no passado, mas ficou difícil de sacar isso assim, de cara. Achei meio abstrato demais... Fora isso, pediria que tomasse cuidado com alguns errinhos de gramatica. Uma boa lida no texto já basta! Tirando estes pormenores, adorei tua carta, parabéns!