sábado, 9 de abril de 2011

Às vezes é o que devemos fazer


Sento-me diante dessa máquina moderna que deixa deliberadamente fluir meus pensamentos. Tanto tempo passou...Desde meu nascimento,  de meus primeiros passos, das minhas primeiras palavras, do meu primeiro amor, do meu primeiro beijo, da minha primeira decepção. As coisas podem ter mudado, mas eu não. Continuo a mesma de sempre: Que ouve músicas melosas e chora, que dança na chuva, que se apaixona, que sente amor e dor. 
Talvez algumas xícaras de café a mais, noites mal dormidas, e mais maquiagem para tampar as olheiras que se sobressaem exageradamente abaixo dos meus olhos brasileiros.  Mas ainda assim acredito em mim, e creio que é a hora de fechar esse vinculo que me involve com o meu interior por um tempo, até que eu possa enxergar a mudança em mim.
Quem sabe uma nova mulher, não tão revolucionaria porém tentando mudar o mundo do meu jeito, talvez mais sonhadora, acreditando mais no poder de mim mesma renasça em mim.
 E eu digo que daqui a algum tempo eu possa voltar aqui e dizer o que eu realmente aprendi com a vida, o que eu realmente sou. Quem sabe eu consiga contar sobre os lugares que eu vi, e talvez esforce-me para lembrar de um estrangeiro desengonçado que conheci em um pub. 
É o tempo de me descobrir, de viver a minha vida agora. Espero que torçam por mim, e que a jornada seja tão ardua para que no fim eu possa dizer: Eu fui, Eu fiz e Eu venci! 
sentirei saudades; 
Layla

4 comentários:

Pamela Dal'Alva? disse...

se mudassemos seria o primeiro passo de muitas melhoras. ^^

Gabriela Freitas disse...

Faço minhas as palavras da Pamela.

Pamela Dal'Alva? disse...

Quer ser o Destaque? Participe.
http://historiasdepamela.blogspot.com/2011/04/voce-no-era-uma-vez-mes-de-maio.html

Anyele Matos disse...

Somos seres em constante mudança, mas ao mesmo tempo continuamos sendo os mesmos, com a mesma essência.

Beijos ^^